[ Backup na nuvem ] 07 razões que vão te convencer a passar a fazer

Eduardo Passos Armazenamento e backup 0 Comments

Proteger as informações vitais é fundamental para a sobrevivência de uma organização, não importa o seu tamanho. Estudos recentes mostram que 93% das organizações que perdem dados por causa de um desastre falem dentro de dois anos.  Cada vez mais as organizações estão adotando soluções de backup na nuvem para enfrentar os desafios de proteção de dados.

A quantidade de informações que nossas empresas geram tem crescido de forma exponencial, tornando a proteção dos dados uma missão mais difícel, principalmente quando ainda usamos o backup em fitas de dados (sim isso ainda existe).

Quando falamos de backup na nuvem, muitos clientes torcem o nariz achando que irei propor uma solução que simplesmente faça uma cópia dos dados locais da empresa para uma nuvem pública. Não, definitivamente isso não é uma boa prática.

O que tenho em mente quando penso em backup na nuvem é o que já falei no artigo sobre Azure Backup. A nuvem é somente um local adicional para armazenamento de seu backup, uma garantia de que o dado vai estar disponível independente da catástrofe que ocorrer.

Bem, chega de papo e vamos as 07 razões que o farão considerar o backup na nuvem como uma solução viável e imprescindível para sua empresa.

#1 – Garantir a recuperação da empresa em caso de um desastre

Ok, você acredita que está fazendo tudo certo. Tem uma janela de backup bem configurada e está fazendo o backup em disco e replicando para fita.

Mas quando uma tubulação de água que passa bem em cima de seu datacenter estourar, como você vai poder garantir o acessos aos dados que foram backupeados? Dúvida que isso seja possível? Pois já aconteceu com um de nossos clientes.

Como falamos aqui, é uma boa prática ter pelo menos duas cópias adicionais dos seus dados, mas nada adianta se você armazena-las todas no mesmo lugar. Ai é que o a nuvem entra como sua aliada.

Em caso de desastres extremos como esse, se você tem os seus dados replicados para uma nuvem pública, você consegue garantir o retorno do seu ambiente de produção em alguns minutos e não em dias.

#2 – Liberte-se de backups manuais e complexos em fita

Ainda existem empresas que insistem em usar a fita como uma mídia de armazenamento para backup. Sim ela é ainda um recurso barato, a LTO 5 com 03 TB custa em média algo em torno de R$ 150,00, o que dá uns R$ 0,05 por GB armazenado. Em compensação oferece uma baixa garantia de recuperação e um alto custo de transporte e armazenamento.

Uma fita como uma LTO5 não pode ser transportada sem uma caixa adequada e protegida de variações de temperatura. As poucas empresas que oferecem o armazenamento deste tipo de mídia cobram caro por isso. Além disso, você deve considerar os custos de software, do tape drive e da instalação. No final não compensa.

Quando você desenha seus processos de backup pensando em discos locais e replicação para nuvem, você simplifica seu ambiente, consegue garantir um SLA maior e diminuir os seus custos operacionais.

#3 – Custos previsíveis e perfeito para orçamentos apertados

Quando você opta por uma abordagem de backup em nuvem, você sai de despesas com capital (CAPEX) para uma taxa de serviço (OPEX).

Em tempos de crise como os que vivemos hoje, faz todo o sentido optarmos por serviços em detrimento de investimentos em infraestrutura. Lembre-se que TI não faz parte do Core Business da empresa, é apenas um serviço fundamental para o funcionamento da mesma como os serviços de limpeza ou segurança.

Quando você opta por uma abordagem de backup na nuvem, você tem previsibilidade dos gastos e assim pode controlar o seu orçamento de TI com mais inteligencia, direcionando o capital para ativos que estejam mais ligados ao Core Business da empresa.

#4 – Recuperação de dados confiável e garantida

Lembra da fita? Como você garante que os dados armazenados nela no mês passado estão acessíveis? Pois é, com a nuvem, os dados são armazenados primeiro no disco e somente depois replicados para o armazenamento em nuvem.

Precisa fazer um restore e está longe da empresa? Não se preocupe pois você pode acessar uma interface WEB e solicitar o restore dos dados de forma simples e confiável.

#5 – Minimize os riscos de downtime

Quantas horas de parada de sistema são aceitáveis na sua empresa? O mundo corporativo não aceita mais horas de paradas, agora os SLAs de TI são medidos em minutos!

É praticamente impossível garantirmos um SLA desse nível contando só com os recursos que temos na nossa infraestrutura. Podemos ir além do backup na nuvem e até criar uma ambiente de disaster recovery replicando nossos serviços para uma nuvem e pública que possa assumir em caso de desastre de forma instantânea.

#6 – Restores mais rápidos

Se você optar por uma abordagem de backup na nuvem, é certo que o primeiro alvo de backup que utilizará será um storage, o disco do seu servidor ou mesmo um disco externo.

Em qualquer uma dessas opções o restore é muito mais rápido que o feito em fita. E mesmo que precise fazer o restore direto da nuvem ele será relativamente rápido, principalmente se você já levou algumas das suas cargas de trabalho para a nuvem.

#7 – Configurar um backup na nuvem é mais simples do que imagina.

Eu arrisco a dizer que utilizar uma abordagem de backup na nuvem consome menos horas de um técnico do que se optar por backup em fitas.

Falando especificamente do Azure Backup, o processo consiste basicamente na instalação do software, criação do cofre de backup e definição das políticas de backup e retenção.

Webinar sobre Azure